Entendendo o Déficit

O déficit habitacional brasileiro é medido pelo Ministério das Cidades, em parceria com a Fundação João Pinheiro, que por sua vez utiliza como fonte a PNAD (pesquisa nacional por amostra de domicílios).

O último levantamento aconteceu em 2008, quando foi identificado um déficit da ordem de 5, 5 milhões de domicílios, 83% localizados nas regiões urbanas. Basicamente são 4 componentes considerados para o cálculo do déficit, de acordo com o quadro abaixo:

Como pode ser observado, temos 2 fatores que indicam uma enorme demanda não atendida. Primeiro, famílias que coabitam, ou seja filhos que moram com os papais e mamães mesmo depois de constituir uma nova familia, é o famoso ” puxadinho brasileiro “. Por opção? Não, falta de opção mesmo.

Em segundo lugar temos o ônus excessivo com aluguel, 34,4% ou 1,91 milhões de famílias pagam maisde 30% de suas rendas com aluguel. Muitas dessas famílias estão migrando para financiamentos de longo prazo (até 30 anos), concedidos pela CAIXA.

A grande concentração desse déficit está nas classes de baixa renda, de 0 a 5 salários mínimos, e como já foi dito, nas regiões urbanas.

O Detalhamento completo da pesquisa está hospedada no site do Ministério das cidades, e pode ser encontrado clicando aqui.

Sobre rodrigoresendeblog

Engenheiro, Diretor de Marketing e Vendas da MRV Engenharia
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s